domingo, 26 de agosto de 2007

Estátua Com Símbolo Fálico Causa Polémica

SUSANA PINHEIRO, Braga PAULO JORGE MAGALHÃES (imagem) A estátua de D. João Peculiar, antigo arcebispo de Braga, está a causar polémica na freguesia da Cividade, em Braga. Tudo porque a população se queixa de ser motivo de chacota por quem lá passa que associa o báculo a um membro fálico. O presidente da Junta de Freguesia vai solicitar a mudança da imagem ao arcebispo de Braga, D. Jorge Ortiga. A Igreja também já manifestou o seu desconforto em relação à escultura.Na freguesia da Cividade são muitos os garantem estar descontentes com "as piadas" que alguns turistas fazem em relação à estátua, situada no Largo de S. Paulo. O assunto é comentado nos cafés situados nas mediações e são muitos os que manifestam o seu desagrado. "Umas pessoas dizem que são vítimas de chacota e têm vergonha da imagem", afirmou uma habitante, continuando: "E dizem-se incomodadas com a situação." É precisamente este o motivo que leva o presidente da Junta de Freguesia de Cividade, António Peixoto Santos, a anunciar que vai solicitar, em Setembro, ao arcebispo Primaz de Braga a mudança da estátua para outro local. Em declarações ao DN, o autarca afirmou que a escultura estava destinada a ser colocada junto à Misericórdia e desconhece porque foi colocada no actual sítio. Além disso, aponta que "é muito pequena para o pedestal que ocupa".Também o vigário-geral da Diocese de Braga, Valdemar Gonçalves, garantiu ao DN que a estátua "incomoda". Aliás, reiterou, "é um incómodo para o senhor arcebispo", realçando que "a obra saiu mal". O DN tentou ouvir a opinião de D. Jorge Ortiga, mas encontra-se de férias. A Câmara Municipal de Braga recusou-se a comentar o assunto, apesar de ser apontada como dona da escultura.
in DN

2 comentários:

  1. Que raio de mal lhes faz a estátua? Isto é de tolos. Gente que não tem mais nada para fazer, insistindo em demonstrar-nos que Braga não é mais que provínicia.

    ResponderExcluir
  2. Eu próprio já vi a estátua. E ri-me, feito parvo. O formato é evidente e realista, ao contrário do que certos “inocentes” sugeriram na TV. Algum "artista" quis singrar e ganhar umas coroas pela afronta e insulto aos mais devotos, para depois se arvorar em incompreendido. Defendo o estado laico, mas não suporto a intolerância laica que esquece as nossas raízes e quer queimar os nossos avós na fogueira. Penso que a arte deve aproximar as pessoas e os povos e não dividi-los. Por este andar ainda vai aparecer uma estátua do bispo a enfiar o báculo no traseiro de algum inimigo do Fundador e temos um problema diplomático. O simbolismo do poder transposto do báculo para o falo é básico e gratuito: não traz nada de novo e é de mau gosto. Nada tem que ver com o nu de um David de Miguel Ângelo, como já ouvi alguém sugerir. Mas o Praxíteles de Braga deixa muito a desejar. Trocou o belo pelo grotesco e farsesco descontextualizado. É mais como coroar uma estátua de Salazar com a foice e o martelo ou uma estátua de A. Cunhal com um uniforme da Legião Portuguesa ou uma cruz ao peito, para mencionar duas personalidades polémicas. Mas como diz o povo "quem tem fome fala de pão". O que os nossos impostos andam a pagar!!!
    José Brandão

    ResponderExcluir